Canadá indicia três por planejar atentado na capital do país

Os suspeitos foram presos nesta semana com explosivos, circuitos e diagramas, disse a polícia.

BBC Brasil, BBC

26 de agosto de 2010 | 17h51

Autoridades do Canadá indiciaram nesta quinta-feira três homens acusados de planejar um atentado a bomba na capital do país, Ottawa.

Um policial federal afirmou que Hiva Alizadeh, Misbahuddin Ahmed e Khurram Sher, presos nesta semana, fazem parte de um grupo que tem ligação com insurgentes do Afeganistão e acrescentou que foram apreendidos com eles materiais e instruções para fabricação de bombas.

O investigador-chefe do caso, Serge Therrialt, disse que a polícia prendeu os três suspeitos por acreditar que o ataque era iminente.

A Polícia do Canadá e o serviço secreto do país atuaram em conjunto na investigação, que durou mais de um ano.

Alizadeh, de 30 anos, Ahmed, 26, e Sher, de 28 anos, respondem à acusação de planejar atos terroristas. Alizadeh também foi acusado de posse de explosivos e de fornecer um imóvel para uma organização terrorista.

Circuitos

A polícia disse que, em conexão com a investigação, foram apreendidas instruções para a fabricação de bombas e mais de50 placas de circuitos especificamente fabricadas para detonação remota de bombas.

Acredita-se que os três queriam construir um dispositivo explosivo para ser usado em Ottawa e um dos detidos, Hiva Alizadeh, tinha ligações com grupos insurgentes do Afeganistão.

O Canadá colabora com tropas na força militar internacional que atua no país asiático.

O jornal canadense Toronto Star, relatou que um dos presos, Khurram Sher, participou do programa de televisão Canadian Idol (semelhante ao brasileiro Ídolos) cantando e dançando uma música de Avril Lavigne. A polícia canadense não confirmou a informação.

A polícia afirma esperar mais prisões ligadas ao caso.BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Tudo o que sabemos sobre:
canadaterrorismoottawaatentado

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.