Canadá mantém egípcio preso há 4 anos sem acusação

Advogados descreveram a prisão de um refugiado egípcio no Canadá, há quatro anos, sem nenhuma acusação formal ou julgamento, como castigo cruel e incomum. Mohammad Mahjoub foi preso no trabalho, em 2000, está sob custódia desde então no Centro de Detenção Oeste de Toronto. Esse presídio normalmente é usado para encarceramentos de curto período e foi apelidado de Guantánamo Canadense, em alusão à prisão militar mantida pelos EUA para supostos terroristas.Autoridades canadenses argumentam que Mahjoub está ligado às Vanguardas da Conquista, um grupo extremista islâmico ligado à al-Jihad, ou Jihad Islâmica Egípcia. Mas as provas contra ele vêm sendo mantidas em segredo, e nenhuma das alegações foi levada perante os tribunais.Aceito pelo Canadá como refugiado em 1996, Mahjoub nega qualquer laço terrorista e luta contra a deportação, dizendo que será torturado se voltar ao Egito. Ele é um dos cinco muçulmanos detidos no Canadá sob certificado de segurança nacional, mandado que permite a prisão sem acusações formais ou fiança.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.