Canadá pede mais informações para liberar carne

A Agência de Inspeção de Alimentos do Canadá (CFIA) disse que precisa de mais informações antes de estudar a liberação das importações de carne enlatada e processada do Brasil. O vice-diretor da divisão de saúde animal da CFIA, Claude Lavigne, disse à agência Resource News que, desde a suspensão das importações canadenses, na sexta-feira passada, o Brasil já forneceu algumas das informações que o governo do Canadá vem pedindo. Ele acrescentou que agentes inspetores canadenses serão enviados ao Brasil para avaliar a situação."Nós precisamos de mais informações sobre coisas como a capacidade deles de fazer diagnósticos laboratoriais e o número de veterinários a serviço do governo. Há toda uma lista de perguntas para as quais nós ainda precisamos de respostas", disse Lavigne.Para Lavigne, poderão se passar seis semanas ou mais até que as importações de carne brasileira sejam liberadas. "Nós estamos trabalhando o mais rapidamente possível. Nossa primeira obrigação é proteger os canadenses", declarou. Segundo a Dow Jones, outros embargos como o que acaba de ser imposto ao Brasil demoraram bastante para ser erguidos. No ano passado, o Canadá levou quatro meses para suspender um embargo à importação de carne da Argentina. A agência observou que a Argentina exporta muito mais carne para o Canadá do que o Brasil e que as autoridades argentinas cooperaram totalmente com o governo canadense.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.