JONNE RORIZ/AE
JONNE RORIZ/AE

Canadá recomenda que turistas americanos deixem suas armas em casa quando visitarem o país

Autoridades lembram que a legislação referente aos armamentos no território canadense é diferente da que vigora nos Estados Unidos e que pode haver punições para quem não os declarar

O Estado de S.Paulo

23 Agosto 2016 | 09h31

TORONTO - As autoridades do Canadá iniciaram na segunda-feira uma campanha para lembrar aos turistas americanos que, no que se refere a armas de fogo, as leis do país são diferentes das que estão em vigor nos Estados Unidos.

A Agência de Serviços Fronteiriços do Canadá (CBSA, na sigla em inglês) também aconselhou que os turistas do país vizinho deixem suas armas nos Estados Unidos se forem visitar o território canadense.

"É muito recomendável que não levem suas armas de fogo quando viajarem ou estiverem de passagem no Canadá a caminho de outros pontos dos Estados Unidos", disse a CBSA em comunicado.

"As leis canadenses são claras: a não declaração de armas de fogo pode provocar confisco, multas, acusações judiciais e impedir sua entrada no Canadá. Seu veículo também pode ser apreendido e será necessário pagar uma multa para liberá-lo", acrescentou a nota.

O órgão indicou ainda que a maioria das armas de fogo confiscadas na fronteira são de propriedade de americanos. A cada dia, mais de 400 mil pessoas cruzam as divisas entre os dois países. Os americanos representam 70% dos turistas que passam pelo menos uma noite no Canadá, segundo estatísticas oficiais de 2014.

A desvalorização nos últimos meses do dólar canadense frente à moeda americana também provocou um aumento de 13,3%, de janeiro a maio deste ano, no número de americanos que visitam o Canadá. / EFE

Mais conteúdo sobre:
Arma Estados Unidos Canadá

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.