Kathryn Elsesser / AFP
Kathryn Elsesser / AFP

Canadá tem 34 mortes ligadas a onda de calor, com temperaturas superiores a 40° C

Temperaturas neste início de verão na América do Norte estão excepcionalmente altas; noroeste dos EUA também é afetado

Redação, O Estado de S.Paulo

29 de junho de 2021 | 17h24

OTTAWA - Ao menos 34 pessoas morreram no Canadá nas últimas 48 horas em consequência da onda de calor que atinge o país, informou a polícia nesta terça-feira, 29.

As temperaturas neste início de verão na América do Norte estão excepcionalmente altas. No noroeste dos EUA e do Canadá, os termômetros passaram de 40ºC. 

O calor na parte ocidental do Canadá levou ao fechamento de escolas e até mesmo da campanha de vacinação contra a covid-19. A cidade de Lytton, na Colúmbia Britânica, quebrou o recorde histórico do país com uma temperatura de 47,9ºC na segunda-feira.

Nesta região, ventiladores e aparelhos de ar condicionado estão esgotados e as cidades abriram centros de refrigeração.

"Uma prolongada, perigosa e histórica onda de calor persistirá durante esta semana", advertiu o Environnement Canada, emitindo alertas para a Colúmbia Britânica, Alberta e partes de Saskatchewan, Manitoba, Yukon e os Territórios do Noroeste.

"É um calor do deserto, muito seco e quente", disse à AFP David Phillips, climatologista sénior do Environment Canada. 

"Somos o segundo país mais frio do mundo e o mais nevado", disse ele. “Muitas vezes vemos ondas frias e nevascas, mas raramente falamos sobre o tempo quente como este", disse Phillips. "Dubai deve ser mais fresca do que aquilo que estamos vendo agora", completou o climatologista. / AFP e AP


 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.