Canadá vai apelar contra pensão retroativa para gays

O governo canadense vai contestar a decisão judicial que ordenou o pagamento de US$ 300 milhões em pensões e benefícios retroativos a gays e lésbicas. A apelação se refere a uma sentença dada mês passado numa ação coletiva, condenando o governo por haver discriminado os viúvos de casais homossexuais ao negar-lhes os benefícios da previdência social até 1998.Defensores dos direitos dos homossexuais saudaram a decisão da Justiça. Pelo menos 400 pessoas subscrevem a ação coletiva, mas estima-se que pelo menos 1.500 cidadãos canadenses sejam elegíveis para o benefício. O veredicto dá aos gays benefícios previdenciários retroativos a 17 de abril 1985, quando garantias de igualdade foram incluídas na Carta de Direitos e Liberdades canadense. Os queixosos também têm direito a juros sobre os atrasados.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.