Canadá vai enviar assessores militares ao Iraque

O primeiro-ministro disse que o Canadá e seus aliados estão cada vez mais preocupados com os atos bárbaros dos militantes islâmicos

Estadão Conteúdo

05 de setembro de 2014 | 16h37

O Canadá vai enviar entre 50 a 100 assessores militares para o Iraque como parte de um esforço para reforçar forças iraquianas contra militantes islâmicos.

O primeiro-ministro canadense Stephen Harper disse nesta sexta-feira que vai se unir aos EUA no aconselhamento do Iraque quanto ao modo de tornar as forças de segurança no norte do país mais eficientes contra a ameaça representada pelo grupo Estado Islâmico. Harper fez o anúncio depois da cúpula da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan), no País de Gales.

O primeiro-ministro disse que o Canadá e seus aliados estão cada vez mais preocupados com os atos bárbaros dos militantes islâmicos. "Se deixadas sem controle essas áreas sem lei vão se tornar campo de treinamento para terroristas internacionais e uma ameaça ainda pior para o Canadá e seus aliados", disse Harper.

Ele disse que a missão não é isenta de riscos. A primeira equipe ficará no Iraque por até 30 dias e será revista após esse período. Harper disse que o presidente dos EUA, Barack Obama, requisitou a contribuição canadense.

Ben Rhodes, vice-assessor de segurança nacional da Casa Branca, postou em sua conta no Twitter que "os EUA dão boas vindas ao anúncio do primeiro-ministro Harper de que o Canadá vai enviar assessores militares para o Iraque como parte dos nossos esforços para apoiar as forças curdas".

Um funcionário do governo informou que a missão inclui assessores de uma unidade de operações militares especiais. Dois aviões de carga canadenses estão transportando armas para combatentes curdos.

Harper disse que os aliados do Canadá vão buscar novas medidas para responder à ameaça e que o Canadá vai avaliá-los à medida que estiveram cientes de seus planos. O ministro de Relações Exteriores canadense John Baird visitou o Iraque nesta semana. Fonte: Associated Press.

Mais conteúdo sobre:
CanadáIraqueajuda militar

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.