REUTERS/Christinne Muschi/File Photo
REUTERS/Christinne Muschi/File Photo

Canadá vai regularizar situação de imigrantes que atuaram contra a covid

Governo anunciou que requerentes que entraram com pedido de asilo antes de março terão situação regularizada, mesmo quando a requisição havia sido negada

Redação, O Estado de S.Paulo

14 de agosto de 2020 | 15h27

TORONTO - O Canadá vai regularizar a situação dos requerentes de asilo que ajudaram a tratar pacientes de covid-19 no pior momento da pandemia do coronavírus, anunciou o Ministro da Imigração nesta sexta-feira, 14. A medida afetará aqueles que contribuíram diretamente para o cuidado dos doentes em unidades de saúde, hospitais ou em casa, como enfermeiros ou auxiliares, explicou o ministro Marco Mendicino em entrevista coletiva. 

Os requerentes de asilo poderão candidatar-se à residência permanente para si e para as suas famílias, desde que tenham apresentado o pedido antes de março de 2020, e independente de ele ter sido recusado. 

“Como esses indivíduos enfrentam um futuro incerto no Canadá, as circunstâncias atuais exigem medidas excepcionais em reconhecimento aos seus serviços extraordinários durante a pandemia”, explicou Mendicino. “Eles se colocaram em perigo” ao trabalhar nos serviços de saúde durante a pandemia, disse o ministro. "Sei que nos lembraremos de sua coragem e compaixão por muitos anos." 

Em maio, o primeiro-ministro Justin Trudeau prometeu estudar um programa para regularizar as pessoas que atuavam na áera de saúde, "fazendo um trabalho heroico" em meio à pandemia. 

Para Entender

Coronavírus: veja o que já se sabe sobre a doença

Doença está deixando vítimas na Ásia e já foi diagnosticada em outros continentes; Organização Mundial da Saúde está em alerta para evitar epidemia

A maioria desses requerentes de asilo trabalha em Quebec, a província mais afetada do país, que registrou quase 61 mil casos de coronavírus e 5.715 mortes até esta sexta-feira, mais da metade do total no Canadá (121 mil infecções e 9.050 óbitos). / AFP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.