Canadá vai se unir a bombardeios contra Estado Islâmico

Canadá vai se unir a bombardeios contra Estado Islâmico

De acordo com o primeiro-ministro, a medida autoriza bombardeios aéreos no Iraque no prazo de seis meses

Estadão Conteúdo

03 de outubro de 2014 | 18h32

O Canadá planeja lançar bombardeios aéreos contra o grupo extremista Estado Islâmico no Iraque, seguindo o pedido dos EUA. O país pode estender os bombardeios para a Síria se for convidado pelo governo do presidente sírio, Bashar Assad, informou o primeiro ministro canadense, Stephen Harper, nesta sexta-feira.

De acordo com o primeiro-ministro, a medida autoriza bombardeios aéreos no Iraque no prazo de seis meses e deixa claro que tropas em solo não devem ser usadas nas operações de combate. A nova missão inclui seis jatos de combate CF-18, um avião de reabastecimento, duas aeronaves de vigilância e uma de transporte. Cerca de 600 pilotos trabalham na missão.

"Vamos combater o Estado Islâmico apenas onde o Canadá tiver claramente o apoio do governo local. No momento, é só no Iraque", afirmou Harper. "Caso essa se torne a situação na Síria, então nós vamos participar de bombardeios aéreos lá também."

A nova medida precisa de aprovação do Parlamento canadense. Como o governo conservador de Harper tem a maioria na casa, é esperado que a medida seja aprovada.

O Canadá está entre dezenas de países que se uniram aos EUA na coalizão de combate ao Estado Islâmico. Fonte: Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
CanadáIraqueEstado Islâmico

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.