Canais de TV latino-americanos criam rede de cooperação

Representantes de canais televisivos de cinco países decidiram no sábado em Cartagena, na Colômbia, criar a RedeRegional de Noticiadores de Televisão da América Latina para coordenar seus projetos e promover sistemas operacionais comuns.Diretores de empresas de televisão da Argentina, Equador, México, Venezuela e Colômbia participaram do Primeiro Encontro Latino-americano de Meios de Comunicação Aliados.Darío Fernando Patiño, diretor de notícias do canal Caracol, da Colômbia, explicou que "a idéia é que os integrantes da rede se apóiem no campo operacional e também defendam o trabalho jornalístico".Participaram da reunião representantes da Telefé, da Argentina; da Ecuavisa, do Equador; e da Radio Caracas Televisión (RCTV), da Venezuela."Com esta integração, queremos realizar trabalhos conjuntos, como, por exemplo, a aquisição de tecnologia e a cobertura de eventos", disse Patiño.O jornalista colombiano disse que, "se Fidel Castro morrer, é mais fácil que uma equipe, e não cinco ou seis, entre na ilha com permissão para cobrir e enviar relatórios para os associados sobre o que estiver ocorrendo".Os presentes se solidarizaram com a Radio Caracas Televisión, depois que o presidente da Venezuela, Hugo Chávez, anunciou, há duas semanas, que a licença de operação do canal, criado há mais de 50 anos, não será renovada.No domingo, antes do encerramento da reunião, será redigida uma posição conjunta de solidariedade com a RCTV.Patiño afirmou que o caso venezuelano "deve servir de alerta para outros meios do continente", porque pode acontecer com eles o mesmo, caso façam oposição aos governos de seus países.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.