AP/Carolyn Kaster
AP/Carolyn Kaster

Canal de TV pauta crítica de Trump a imigrantes

Twitter do presidente repete o que é exibido pelo programa ‘Fox & Friends’, da Fox News

Cláudia Trevisan, Correspondente / Washington, O Estado de S.Paulo

02 Abril 2018 | 20h40

As mensagens anti-imigração de Donald Trump, no domingo de Páscoa, parecem ter sido inspiradas por seu programa predileto de TV, Fox & Friends, da Fox News. Pouco antes de Trump escrever que não haveria mais acordo para legalizar jovens imigrantes e dizer que havia “caravanas” a caminho do país, a emissora veiculou reportagem sobre um grupo de 1,2 mil latino-americanos que atravessam o México em direção aos EUA.

 Reportagem publicada pelo New York Times, em dezembro, disse que Trump gasta no mínimo quatro horas por dia diante da TV e, muitas vezes, reage ao que vê de maneira instantânea. O resultado é um governo caótico, no qual assessores são surpreendidos por tuítes que anunciam políticas públicas e prejudicam articulações no Congresso.

“O Fox & Friends está definindo a agenda do país. Isso não tem precedentes na nossa história”, disse o cientista político David Cohen, professor da Universidade de Akron. “Presidentes devem receber informação e aconselhamento dos assessores profissionais da Casa Branca, mas Trump não faz isso. Ele gasta suas manhãs assistindo programas de TV a cabo, especialmente a Fox News.”

Segundo Cohen, a emissora se transformou em um braço de propaganda do governo e funciona quase como uma TV estatal, ainda que seja privada, na qual o apoio a Trump é incondicional. “O caráter simplista da TV a cabo permite que ele confirme as visões que já possui.”

Em estudo publicado no início do ano, Matt Gertz, da ONG Media Matters, afirmou que há forte conexão entre temas veiculados na emissora e a conta de Trump no Twitter. “Depois de comparar os tuítes com a cobertura diária da Fox, desde outubro, eu posso dizer que o ciclo de retroalimentação Fox-Trump está ocorrendo com muito mais frequência do que você imagina”, escreveu Gertz. 

+ Trump e como minar a imagem de um país no Twitter

Segundo ele, não há “estratégia” nas mensagens do presidente no Twitter. “Ele não está tentando distrair a mídia. Ele está sendo distraído. Ele passa com a velocidade da luz de um tópico para outro nos seus tuítes, porque é assim que as notícias a cabo funcionam.”

No domingo, o Fox & Friends exibiu um segmento sobre uma caravana de centenas de centro-americanos que avança na direção dos EUA e é acompanhada por um repórter do BuzzFeed. Organizada pelo grupo Povo Sem Fronteiras, a marcha ocorreu em cada um dos últimos cinco anos e tem o objetivo de chamar atenção para a violência em Honduras, Guatemala e El Salvador. Muitos que a integram disseram que querem entrar ilegalmente nos EUA. Outros afirmaram que buscarão asilo.

No Fox & Friends, o grupo foi apresentado como um horda que não poderá ser parada pelos policiais de fronteira dos EUA. No Twitter, Trump acusou o México de não fazer nada para interromper a marcha. Também disse que seus integrantes querem se aproveitar do Daca, o programa criado pelo ex-presidente Barack Obama para impedir a deportação de jovens levados aos EUA quando eram crianças. No entanto, apenas imigrantes que tenham entrado no país antes de 2007 podem obter o benefício. 

Trump acabou com o Daca em setembro e deu um ultimato para que o Congresso regularizasse a situação dos jovens até o fim de março – o prazo expirou no sábado. Ainda não houve acordo sobre o assunto, mas o programa continua em vigor graças a decisões judiciais.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.