Jorge Saenz/AP
Jorge Saenz/AP

Câncer não vai ressurgir em Lugo, afirma médico

Presidente do Paraguai passou por revisão clínica em São Paulo que descartou retorno da doença

Efe

29 de julho de 2011 | 20h06

SÃO PAULO - A revisão clínica a que foi submetido em São Paulo o presidente do Paraguai, Fernando Lugo, descartou o ressurgimento do câncer linfático no líder e ratificou as "perfeitas condições" de sua saúde, afirmou nesta sexta-feira, 29, o médico pessoal do governante.

 

"Da avaliação, o que se entende é que o presidente está em perfeitas condições. Foi feita uma revisão completa do corpo e não foi detectada nenhuma reativação ou índice de reativação da doença", declarou a jornalistas Jorge Querey, médico do presidente.

 

Lugo chegou na quinta-feira ao Brasil para fazer uma revisão no hospital Sírio Libanês de São Paulo, após cancelar, devido a um quadro de gripe, sua viagem a Lima para a posse do novo presidente do Peru, Ollanta Humala. Segundo Querey, "nas análises de laboratório saíram todos os parâmetros de funcionamento orgânico dentro das categorias normais".

 

O hospital, por sua vez, emitiu um comunicado no qual afirma que "foram realizados novos estudos para avaliação de seu quadro clínico que confirmaram a remissão completa de sua doença". Lugo, ex-bispo católico, recebe medicação periódica para o tratamento contra o câncer linfático que lhe foi diagnosticado em agosto de 2010.

 

Querey se responsabilizou pela recomendação para que Lugo não viajasse ao Peru, mas negou que o motivo tenha sido uma eventual recaída de seu quadro oncológico. "Neste tipo de doença não se pode falar de cura total antes de cinco, dez anos, mas de remissão dos linfomas e esse é o estado no qual se encontra o presidente", disse.

 

Lugo, que no próximo dia 15 de agosto completará seu terceiro ano de mandato, foi submetido de agosto a dezembro do ano passado a seis sessões de quimioterapia em São Paulo e Assunção dentro de seu tratamento contra o câncer. Sua alta está prevista para o sábado.

Tudo o que sabemos sobre:
ParaguaiLugocâncer

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.