Oliver Berg/dpa via AP
Oliver Berg/dpa via AP

Candidata alemã à prefeitura de Colonia é esfaqueada

Henriette, gravemente ferida no pescoço, era a responsável pela recepção dos refugiados na prefeitura; para a polícia, tratou-se de um ato de motivação racista

O Estado de S. Paulo

17 Outubro 2015 | 17h41

BERLIM - Uma candidata à prefeitura de Colonia (oeste da Alemanha), Henriette Reker, foi esfaqueada neste sábado, 17, por motivos "racistas", vinculados à política de recepção de refugiados, no momento em que fazia campanha em um mercado, anunciou a polícia regional.

Henriette, gravemente ferida no pescoço, era a responsável pela recepção dos refugiados na prefeitura de Colonia, explicou Wolfgang Albers, chefe de polícia de Renania do Norte-Westfalia. "Neste contexto, privilegiamos uma ação política" disse.

agressor, um alemão desempregado há muito tempo e detido depois do crime, "disse que cometeu o ato com uma motivação racista", disse o chefe de polícia de Colonia, Norbert Wagner. Ela sofreu "ferimentos graves", mas o quadro é "estável", afirmou Albers.

Henriette, candidata sem partido, mas apoiada pelos conservadores (CDU) de Angela Merkel, é uma das candidatas favoritas à prefeitura de Colonia, a quarta maior cidade da Alemanha, com 980 mil habitantes. Merkel expressou seu "choque" com a agressão à candidata. "A chanceler expressou seu choque e condenou o ato", disse à agência France-Presse uma porta-voz do governo.

Com uma queda nas pesquisas e uma rebelião dentro do próprio partido, a chanceler Angela Merkel enfrenta um crescente descontentamento após dez anos de poder na Alemanha por sua política de abertura aos refugiados.

A Alemanha deve receber em 2015 entre 800 mil e um milhão de refugiados, um recorde sem precedentes, segundo as estimativas oficiais. / AFP 


Mais conteúdo sobre:
Alemanha Henriette Reker Angela Merkel

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.