Candidato a Premier japonês propõe revisão do pacifismo

O conservador Shinzo Abe, principal candidato à sucessão do primeiro-ministro japonês Junichiro Koizumi, anunciou nesta sexta, dia 1º, um programa de governo que irá revisar a Constituição pacifista adotada no pós-guerra, que impede o país de participar de conflitos.Abe apresentou sua candidatura para uma votação com a qual em 20 de setembro os liberais democráticos, do partido majoritário do país, irão eleger o novo presidente da força, cargo que o converterá depois em primeiro-ministro. Em um discurso pronunciado durante uma reunião de dirigentes conservadores na cidade de Hiroshima, Abe se propôs a levar adiante uma série de medidas que dão mais poder ao Executivo e que introduzem mudanças na capacidade e possibilidade de ação militar do país. RevisãoEsses objetivos, disse, não se contrapõem ao seu declarado propósito de melhorar as relações com China e Coréia do Sul, que nos últimos tempos estiveram afetadas por vários conflitos, em especial pela indulgência com a qual ele mesmo trata as teorias que fazem uma revisão da guerra, geralmente expressadas pela extrema direita. Trata-se em particular do revisionismo histórico-ideológico divulgado desde o templo xintoísta de Yasukuni, o santuário bélico de Tóquio, onde ao lado de mortos em conflitos são venerados também 14 criminosos que guerra, mortos na prisão ou na forca.

Agencia Estado,

02 de setembro de 2006 | 12h14

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.