Candidato à Presidência da Colômbia denuncia complô contra ele

O candidato à Presidência da Colômbia Alvaro Leyva Durán disse que sua segurança pessoal foi ameaçada e que teme por sua vida. Durán afirmou também que há um plano para alijá-lo da disputa eleitoral. Leyva Durán, que concorre pelo Movimento Nacional de Reconciliação, declarou em comunicado de imprensa que não foi a um debate organizado pelo jornal El Tiempo e o canal City TV "por razões de segurança". "Em função de graves fatos ocorridos durante os últimos dias e especialmente neste fim de semana, minha segurança pessoal foi ameaçada desde o Estado", declarou. Leyva, forte opositor do presidente colombiano Alvaro Uribe Vélez, disse ainda que suas propostas de paz e intercâmbio humanitário encontram resistência por parte de alguns setores do país. Ele conta com a simpatia dos comandantes das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc), e iria receber, a pedido da guerrilha, dois policiais que estavam em poder dos rebeldes. No entanto, essa operação foi adiada e as Farc entregaram os dois seqüestrados a uma comissão da Cruz Vermelha Internacional, no final de março, sem a presença de Leyva.

Agencia Estado,

24 Abril 2006 | 04h23

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.