Candidato à Presidência do Afeganistão fala em fraude

O candidato à presidência do Afeganistão, Abdullah Abdullah, afirmou que rejeita o resultado da eleição do último sábado, alegando fraude, em mais uma escalada da crise política no país.

Agência Estado

19 de junho de 2014 | 17h01

Abdullah anunciou um boicote do processo eleitoral e elevou a retórica contra os dois órgãos eleitorais do Afeganistão. Segundo o candidato, eles favorecerem seu oponente - o ex-ministro de Finanças Ashraf Ghani - no pleito.

"As comissões eleitorais são ilegais para nós", disse Abdullah. "Qualquer que seja o resultado, ele não será aceitável para nós."

Desde o pleito de 14 de junho, Abdullah tem falado à imprensa quase que diariamente. Sua equipe de campanha acredita que cerca de 1 milhão de votos favoráveis a Ghani são fraudulentos. Ontem, Abdullah pediu uma interrupção imediata do processo de contagem e retirou sua equipe dos centros eleitorais.

O porta-voz de Ghani, Faizullah Zaki, rejeitou as alegações de fraude e pediu que Abdullah respeite as comissões eleitorais do país. Fonte: Dow Jones Newswires.

Tudo o que sabemos sobre:
Afeganistãoeleição

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.