Candidato à presidência teme guerra civil em Honduras

O candidato presidencial do partido que encabeça o governo interino de Honduras, Elvin Santos, denunciou hoje o líder deposto, Manuel Zelaya, por ameaçá-lo de morte. "Faço responsável por minha vida o senhor Zelaya, que nos ameaçou (de morte).", afirmou em entrevista à rádio HRN. Ainda segundo Santos, Zelaya pôs Honduras à beira de uma guerra civil, ao tentar retornar ao poder. "É necessário falar a verdade: Zelaya divide e polariza a sociedade e, ao falar com um duplo discurso, engana o povo", afirmou Santos. "Honduras não pode estar à beira de uma guerra civil. A comunidade internacional precisa entender isso."

AE-AP, Agencia Estado

16 de setembro de 2009 | 17h58

Zelaya era membro do Partido Liberal, mas teve divergências com a sigla ao longo de seu mandato. "O presidente deposto ataca seu partido e quer destruí-lo, com a impunidade dada pela comunidade internacional, que o protege", afirmou Santos. Os militares hondurenhos derrubaram Zelaya em 28 de junho e o enviaram para um exílio na Costa Rica. O Congresso o substituiu pelo também liberal Roberto Micheletti, presidente da Casa.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.