Candidato conservador chileno renuncia à disputa presidencial

Filho de Longueira, que defendia o partido Alianza, diz que o pai está com problemas de saúde

O Estado de S. Paulo,

17 de julho de 2013 | 18h28

(Atualizada às 18h50) O candidato conservador chileno Pablo Longueira renunciou nesta quarta-feira, 17, à disputa eleitoral para a Presidência do país por motivos de saúde, anunciou um de seus filhos.

"Nosso pai está doente. Após a eleição primária da Alianza sua saúde foi se deteriorando", disse Juan Pablo Longueira. Agora, a coalizão governante fica sem representante a poucos meses da eleição, que ocorre em 17 de novembro.

Longueira foi assessor do ditador Augusto Pinochet e tinha sido escolhido para defender a Alianza, partido de direita. Sua campanha eleitoral tinha uma plataforma conservadora familiar de cortes de impostos, ajuda às empresas e oposição à imigração ilegal.

Ex-ministro da Economia, Longueira se tornou candidato presidencial depois que o ex-ministro Laurence Golborne, que liderou o resgate dos mineiros presos sob o deserto de Atacama em 2010, renunciou à disputa eleitoral após ter o nome envolvido em escândalos.

A ex-presidente Michelle Bachelet, do Partido Socialista, também candidata às eleições de novembro, liderava todas as pesquisas de intenção de votos./ EFE

Tudo o que sabemos sobre:
ChilePablo Longueira

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.