Candidato do Equador diz que romperá com Chávez caso ele se intrometa em seu país

O candidato de esquerda Rafael Correa, que disputará o segundo turno para a Presidência do Equador, disse nesta quinta-feira que está disposto a romper com seu amigo Hugo Chávez caso o líder venezuelano se intrometa nos assuntos internos do país. A informação é da France Presse.Segundo a agência, Correa teria dito em entrevista à rede de TV Teleamazonas que acabará com a amizade com "o primeiro que se intrometer nos assuntos do Equador". "Aqui, nem Chávez e nem Bush vão nos dizer o que fazer", afirmou.Ainda de acordo com a France Presse, o candidato busca denunciar supostas manobras para associar sua campanha à Chávez. Na segunda-feira, Correa disse ter sabido de uma notícia atribuída a um jornalista venezuelano segundo a qual existiria um "informe secreto" que comprova o suposto financiamento da campanha do candidato esquerdista por Hugo Chávez. A agência destacou ainda que o candidato teria negado ser comunista, como assegura seu adversário, o direitista Alvaro Noboa. O segundo turno das eleições equatorianas ocorrerá no dia 26 de novembro."Não sou comunista, mas se fosse não teria problemas em dizer. Sou católico praticante e vivi quatro anos nos Estados Unidos, país que admiro muito", disse o candidato.Apuradas 94,3% das urnas, Noboa obteve 26,6% dos votos (1.377.688 votos) contra 22,8% de Correa (1.184.097), segundo o Supremo Tribunal Eleitoral - que espera já no final de semana ter os resultados do primeiro turno eleitoral.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.