Candidato do governo admite derrota em eleição chilena

O candidato do governo de centro-esquerda, Eduardo Frei, admitiu a derrota no segundo turno da eleição presidencial no Chile, após a divulgação dos números de 60% dos locais de votação.

AE-AP, Agencia Estado

17 de janeiro de 2010 | 20h43

Segundo o resultado parcial, o bilionário Sebastian Piñera, da coalizão de direita, tinha 52% dos votos, contra 48% de Frei. Após a divulgação, o ministro do Interior, Edmundo Pérez Yoma, disse que essa tendência era irreversível.

Dessa maneira, Piñera deverá se tornar o primeiro presidente de direita eleito democraticamente no país em 52 anos.

"Foi uma eleição limpa e transparente, gostaria de parabenizar Sebastian Piñera", disse Frei.

Esta é a primeira vitória da direita no Chile desde a volta da democracia ao país em 1990, quando se encerrou a ditadura de 17 anos do general Augusto Pinochet.

"Seremos guardiães da liberdade e de todas as nossas vitórias sociais", disse Frei.

Bruno Baranda, secretário-geral do partido Renovação Nacional, que faz parte da coalizão de direita, disse que o Chile mostrou ao mundo que quer seguir em frente, e não ficar olhando para o passado, e ressaltou que muitos dos que fazem parte de partidos de centro-direita não tiveram envolvimento com o governo militar.

Tudo o que sabemos sobre:
ChileeleiçõesEduardo Freiderrota

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.