Candidato evita responder aos ataques rivais

No início do mês, o pastor Robert Jeffrey, da Primeira Igreja Batista de Dallas, usou o adjetivo pejorativo "culto" para classificar a doutrina mórmon. "Mitt Romney não é um cristão", afirmou. O governador do Texas, Rick Perry, aproveitou para intensificar as críticas contra Romney. "Você mede um líder pela maneira como ele anda, não como ele fala. Eu tenho um passado conservador e tenho orgulho disso", afirmou Perry, em referência ao tom mais à direita adotado por Romney, antes um republicano moderado.

WASHINGTON, O Estado de S.Paulo

06 de novembro de 2011 | 03h02

Romney acabou defendido na sexta-feira pelo vice-presidente dos EUA, Joe Biden, democrata e católico, para quem a resistência ao republicano por causa de sua religião é "ultrajante" e "preconceituosa".

Segundo o analista político conservador Michael Barone, a escolha de um candidato republicano mórmon parece hoje mais preocupante do que em 1968, quando o pai de Romney, George, concorreu nas primárias republicanas à Casa Branca.

Se Romney for escolhido, observa Barone, a questão religiosa não deverá atrapalhar sua disputa com Obama. "O eleitor republicano estará mais identificado com o partido do que com outros temas na eleição geral."

Romney, neste momento, evita discutir a questão publicamente. Prefere se concentrar nos desafios econômicos, reforçar suas recentes posições contrárias ao aborto e ao casamento entre homossexuais e mascarar as semelhanças entre a reforma dos planos de saúde que adotou em Massachusetts e a do presidente Barack Obama. Questionado sobre a declaração do pastor Robert Jeffrey, Romney esquivou-se.

Doutrina. A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, nos EUA, promete pouca ajuda a Romney e ao ex-embaixador dos EUA em Pequim Jon Huntsman, também mórmon e pré-candidato republicano.

A neutralidade política está expressa na página da igreja na internet. "Não endossamos nenhuma candidatura em nenhuma eleição", afirmou Ahmad Corbitt, diretor de assuntos públicos e internacionais da igreja em Nova York. "Não discutimos questões políticas. Apenas as questões morais. Se a política trata de um tópico moral, podemos dar a nossa opinião, mas desde um ponto de vista estritamente moral." / D. C. M.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.