Candidato governista ganha eleição presidencial na Nigéria

O candidato do partido governista nigeriano à sucessão do presidente Olusegun Obasanjo foi proclamado vitorioso nesta segunda-feira, 23, em uma eleição que observadores da União Européia classificaram como duvidosa e que o próprio mandatário admitiu não ter sido perfeita. O chefe da comissão eleitoral disse que Umaru Yar´Adua, do governista Partido Democrático do Povo, ganhou a eleição com 24.638.063 votos contra 6.605.299 de seu rival mais próximo, Muhammadu Buhari, do Partido de Todo o Povo da Nigéria. A votação para a primeira transmissão de poder de um líder civil para outro no grande produtor de petróleo foi debilitada por denúncias de fraude, violência e falta de milhões de cédulas de votação no sábado. "Não se pode dizer que nossas eleições foram perfeitas", disse Obasanjo em um pronunciamento nacional, citando falhas logísticas, violência, roubo de urnas e fraude. Ele acusou "alguns líderes políticos" de fomentarem a violência e empregar assassinos para alcançar a vitória, mas disse que os nigerianos mostraram fé na democracia. Max van den Berg, chefe dos observadores da UE, disse em um comunicado: "Essas eleições não corresponderam às esperanças e expectativas do povo nigeriano e o processo não pode ser considerado digno de crédito", disse. Os observadores da UE pediram por ações urgentes sobre as eleições, mas não disseram se ela deveria ser cancelada e realizada novamente. Um grupo de observadores da sociedade civil pediu o cancelamento da votação para permitir uma nova eleição no país mais populoso da África, abalado por décadas de ditaduras corruptas desde a independência do Reino Unido em 1960.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.