Candidato pede adiamento das eleições das Maldivas

O candidato às eleições presidenciais das Maldivas, Abdulla yameen, pediu adiamento do segundo turno, marcado para este domingo, dia 10. Neste sábado, os resultados oficiais do primeiro turno apontaram que Abdulla yameen recebeu 31% dos votos, enquanto o líder da oposição, Mohamed Nasheed, recebeu pouco menos de 46% dos voto populares, não conseguindo vencer as eleições no primeiro turno.

Agência Estado

09 de novembro de 2013 | 20h09

"Eu não estou pronto para aprovar as listas de eleitores e precisamos de pelo menos 48 horas para aprová-los", declarou yameen . "A eleição do segundo turno pode ser depois disso". O candidato disse aos repórteres que não estava pronto para enfrentar um segundo turno neste domingo e se recusou a aprovar as listas de eleitores, uma exigência legal nas Maldivas.

O partido de Nasheed, Partido Democrático das Maldivas (MDP, na sigla em inglês), imediatamente apelou à comunidade internacional para pressionar as autoridades do país para que mantenham o calendário eleitoral e assegurar o cumprimento da Constituição, que prevê que um novo presidente seja empossado até segunda-feira, 11.

"A comunidade internacional deve aplicar pressão - inclusive, sanções punitivas - sobre os indivíduos que procuram minar a democracia Maldivas" afirmou o partido em comunicado. O MDP argumenta que se a eleição não for realizada domingo, o país poderá enfrentar uma crise constitucional sem um líder.

O chefe eleitoral, Fuwad Thowfeek, havia anunciado o segundo turno para amanhã, mas ainda não está claro se a disputa pela presidência permanece confirmada para este domingo. Fonte: Dow Jones Newswires.

Mais conteúdo sobre:
maldivaseleições

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.