Candidatos à presidência dos EUA falam sobre economia

Os candidatos à presidência dos EUA, John McCain e Barack Obama,começaram a semana falando sobre economia. Em discurso realizado em Denver, no Colorado, o republicano McCain priorizou o combate ao desemprego. A crise econômica vivida sob o governo George W. Bush é um desafio para sua campanha e ele tenta adotar uma política econômica diferente da atual, mas sem criticar demasiadamente as conquistas do presidente. Hoje, ele reconheceu a queda nos índices de emprego, mas prometeu cortes de impostos, acordos de livre comércio e novas usinas nucleares para superar a crise. McCain também voltou a falar da questão energética, ressaltando sua proposta para a construção de 45 novas usinas nucleares. Já Obama discursaria em Charlotte (Carolina do Norte), mas falou em St. Louis (Missouri) porque uma pane fez seu avião de campanha aterrissar na cidade. Ele lamentou o fechamento de empresas e fábricas nos EUA e aproveitou para criticar McCain e associá-lo a Bush. "O progresso que fizemos nos anos 90 foi perdido por um governo com uma única filosofia, que é tão velha quanto mal orientada, que não recompensa o trabalho, mas apenas a riqueza", disse. A campanha de Obama anunciou hoje que o discurso do candidato, aceitando a indicação do partido durante a convenção nacional, em agosto, será realizado em um estádio de futebol com capacidade para 75 mil pessoas. O evento estava anteriormente marcado para um ginásio com capacidade para 20 mil espectadores.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.