Paolo Bona/Reuters
Paolo Bona/Reuters

Candidatos de Berlusconi perdem em Milão e Nápoles, segundo boca de urna

Direita está no governo de Milão há 20 anos; Premiê italiano disse que eleições são 'plebiscito'

Efe

30 de maio de 2011 | 12h26

ROMA - O candidato de centro-esquerda Giuliano Pisapia desponta como o vencedor do segundo turno da eleição para a Prefeitura de Milão, segundo pesquisa de boca de urna realizada pela empresa Intention Pool Digis para a rede de televisão "Sky TG24".

 

Os primeiros dados divulgados nesta segunda-feira indicam que Pisapia contaria com 53,5% dos votos contra 46,5% da atual prefeita, Letizia Moratti, candidata do Povo da Liberdade (PDL), partido do primeiro-ministro Silvio Berlusconi.

 

Já em Nápoles, outra grande cidade italiana que precisou de segundo turno para escolher seu prefeito, o candidato de centro-esquerda Luigi De Magistris, da Itália dos Valores (IDV), teria se imposto ao candidato de centro-direita Gianni Lettieri com 54,5% dos votos contra 45,5%, segundo pesquisa da mesma empresa.

 

A vitória de Pisapia representaria o final de 20 anos de um governo municipal conservador em Milão, além de um duro revés para Berlusconi, que definiu estas eleições como um "plebiscito" para seu governo.

 

Perante a possibilidade de perder a Prefeitura da capital econômica do país, Berlusconi chegou inclusive a cogitar a mudança de dois ministérios para Milão na semana passada após a derrota no primeiro turno, também para apaziguar os ânimos de seus parceiros do partido Liga Norte (LN).

 

Pisapia venceu a primeira fase do pleito, realizada há duas semanas, quando obteve 48,04% do total de votos, contra 41,58% de Moratti, embora naquela ocasião não tenha conseguido obter o mínimo necessário de votos para garantir a vitória de forma direta.

 

Em Nápoles, o primeiro turno já tinha deixado fora da disputa o candidato do Partido Democrata (PD), Mario Morcone, representante de centro-esquerda que governou a cidade os últimos 15 anos e cuja administração se viu envolvida em escândalos de corrupção internos.

 

Com isso, no segundo turno concorriam Lettieri, do PDL, e De Magistris, do progressista IDV, a quem Berlusconi qualificou como "agitador político e demagogo" no mesmo dia em que afirmou que os que votavam em candidatos de esquerda "não tinham cérebro".

 

Outra importante Prefeitura em disputa é a de Cagliari, na ilha de Sardenha, onde o candidato de centro-direita Massimo Fantola venceria por 53,05% o jovem Massimo Zeda, candidato da centro-esquerda, que ficaria com 46,95% dos votos.

 

Nestas eleições municipais parciais a Itália renova 1.315 Prefeituras e 11 cargos de deputado provincial. A maior parte dos vencedores foi decidida no primeiro turno, realizado nos dias 15 e 16 de maio.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.