Candidatos egícpio e búlgara empata em eleição para Unesco

Cada um recebeu 29 votos; quinta e última rodada da eleição para diretor-geral do órgão ocorre na terça

21 de setembro de 2009 | 15h26

Os candidatos do Egito e da Bulgária ao posto de diretor-geral da Unesco obtiveram a mesma quantidade de votos na eleição desta segunda-feira, 21, o que faz com que uma quinta e última rodada de votações seja realizada na terça-feira, 22, para definir quem ocupará o cargo, informou o porta-voz do órgão à agência de notícias AFP.

 

O polêmico candidato egípcio, Faruk Hosni, ministro da cultura do seu país há 20 anos, acusado de antissemitismo, e atual embaixadora da Bulgária na França, Irina Bokova, obtiveram 29 votos cada na quarta votação do conselho executivo da Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura, informaram fontes diplomáticas.

 

A quarta rodada havia começado às 18h30 locais, minutos depois de o Equador, através de seu representante, Marcelo Vázquez, anunciar que retiraria a candidatura do país, representada pela ex-embaixadora do país nos EUA Ivonne Baki.

 

"O governo equatoriano decidiu retirar a candidatura de Ivonne Baki para facilitar o processo de seleção do novo diretor-geral", indicou o diplomata equatoriano, antes de afirmar que "embaixadores e representantes de todas as regiões saudaram a atitude do Equador".

 

No domingo, a comissária europeia de Relações Exteriores, a austríaca Benita Ferrero Waldner, anunciou que retiraria sua candidatura em benefício da outra aspirante europeia, que na terceira rodada a havia superado em votos. A equatoriana havia recebido apenas nove voltas na rodada, ficando em quarto e último lugar.

 

Para se eleger nas primeiras quatro rodadas o candidato deve obter a maioria simples dos votos. A primeira votação ocorreu na quinta-feira passada, e a quinta e última rodada será realizada nesta terça. O candidato escolhido substituirá a partir de dezembro o japonês Koichiro Matsuura.

Tudo o que sabemos sobre:
ONUUnescoeleição

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.