Candidatos se enfrentam em último debate nos EUA

Encontro entre Obama e Romney terá política externa como tema, mas economia também deve ser discutida

DENISE CHRISPIM MARIN, ENVIADA ESPECIAL , BOCA RATON, EUA, O Estado de S.Paulo

22 de outubro de 2012 | 07h03

Barack Obama e Mitt Romney participam hoje do último debate presidencial da eleição americana. O encontro, que será realizado em Boca Raton, na Flórida, terá como tema a política externa. Espera-se que Romney responsabilize Obama pelos americanos mortos na Líbia, em 11 de setembro, e pelos cortes no orçamento de Defesa. O presidente deve citar algumas de suas conquistas: a execução de Osama bin Laden, o fim da guerra do Iraque e a retirada das tropas do Afeganistão até o fim de 2014.

Programado para começar às 23 horas (horário de Brasília), na Lynn University, o debate ocorrerá em um momento delicado da disputa. Ambos os candidatos estão empatados, conforme as pesquisas, e dependem de um bom desempenho para conquistar os eleitores indecisos.

O principal concorrente do debate será a partida de futebol americano entre Chicago Bears e Detroit Lions. Acredita-se que, por isso, a audiência chegue a 60 milhões de telespectadores.

Dada a preocupação do eleitorado com a fragilidade econômica e com a taxa de desemprego ainda elevada (7,8% em setembro), o tema também deve ser abordado pelos candidatos. Outros assuntos que surgirão incluem a transferência de empregos industriais dos EUA para o exterior, principalmente para a China, e o corte de US$ 492 bilhões nos gastos de defesa.

De acordo com analistas, será difícil ver substância na briga verbal de hoje, assim como não se extraiu conteúdo dos dois debates anteriores sobre os rumos da economia americana. No entanto, é esperado de Romney, que se prepara em Delray Beach, na Flórida, explorar as promessas de Obama em sua campanha de 2008, como o fechamento da prisão de Guantánamo e a ausência de uma estratégia clara de política externa do atual governo.

Obama deve atacar a falta de espírito de liderança de seu rival ao mencionar as gafes cometidas por Romney em sua viagem por Grã-Bretanha, Israel e Polônia, em julho.

Imigração. O debate tenderá ainda a envolver temas caros ao eleitorado da Flórida, Estado indefinido que tem o maior número de delegados no Colégio Eleitoral (29). A política do próximo governo para a imigração é um tema que favorece Obama, por sua iniciativa de baixar, por decreto, meios para a regularização de jovens imigrantes ilegais.

Romney ainda paga caro, junto ao eleitorado hispânico, por sua defesa da "autodeportação". O fim do embargo a Cuba é outra polêmica no Estado, para onde muitos cubanos fugiram depois da revolução, em 1959.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.