Candidatura de Hillary ganha fôlego, McCain garante indicação

A pré-candidata democrata àPresidência dos Estados Unidos Hillary Clinton conseguiu duasvitórias vitais contra seu rival Barack Obama nas prévias deOhio e do Texas, o que manteve vivas as pretensões daex-primeira-dama de obter a indicação democrata para aseleições de novembro. Pelo lado republicano, o senador John McCain garantiu aindicação do partido e já se prepara para a disputa pela CasaBranca. As vitórias de Hillary puseram fim a uma sequência de 12triunfos de Obama e frustrou as previsões de que derrotas dasenadora por Nova York no Texas e em Ohio a forçariam adesistir da disputa. O acirrado duelo democrata vai agora para as prévias deWyoming e Mississippi na semana que vem e depois para a próximagrande disputa na Pensilvânia em 22 de abril. Hillary aindaestá atrás de Obama em número de delegados comprometidos comsua candidatura. Os delegados escolherão o indicado do partidopara as eleições durante a convenção partidária marcada paraagosto. "Vamos seguir em frente, vamos ficar fortes, vamos até ofim", disse Hillary a simpatizantes na cidade de Columbus emOhio. "Estamos apenas começando." As quatro vitórias expressivas de McCain em Ohio, Texas,Vermont e Rhode Island colocaram o principal rival do senadorna disputa republicana, o ex-governador do Arkansas MikeHuckabee, fora da disputa, já que McCain conseguiu maisdelegados do que os 1.191 necessários para obter a indicação. O presidente norte-americano, George W. Bush, vai declararapoio a McCain na Casa Branca nesta quarta-feira. O senadorpelo Arizona conseguiu uma volta por cima depois de suacampanha ser considerada sem chances de sucesso no anopassado. "Estou muito satisfeito de afirmar isso hoje, meus amigos,conquistamos delegados suficientes para declarar com confiança,humildade e um grande senso de responsabilidade que serei oindicado republicano para a Presidência dos Estados Unidos",disse McCain, 71, a simpatizantes em Dallas. "A disputa começa nesta noite", acrescentou o ex-piloto daMarinha e ex-prisioneiro de guerra no Vietnã, já pensando nadisputa eleitoral contra Hillary ou Obama. (Reportagem adicional de Ellen Wulfhorst, Caren Bohan eJeff Mason)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.