Canibal alemão diz que a vítima pediu para morrer

No segundo dia de seu julgamento, Armin Meiwes, 44 anos, confessou à corte de Frankfurt ter matado e comido outro homem. Entretanto, ele argumentou que o assassinato de Bernd Juergen Brandes, 43 anos, em março de 2001, deveria ser considerado uma "morte encomendada". Ele já tinha testemunhado que Brandes havia respondido ao seu anúncio na internet que dizia procurar alguém para "assassinar e consumir". Brandes respondeu dizendo que queria de ser "comido vivo".Meiwes foi condenado por assassinato na corte de Kassel, em 2004, e sentenciado a 8 anos de prisão, mas os promotores apelaram o veredicto, na esperança de conseguir uma sentença mais pesada.Se condenado, Meiwes pode pegar prisão perpétua.Em seu testemunho na segunda-feira, o assassino disse que Brandes queria ser morto a facadas, após beber uma garrafa de drogas para perder a consciência. Meiwes disse ainda que hesitou antes de continuar."Eu queria comê-lo, mas não matá-lo", disse à corte.Meiwes gravou a morte em vídeo, que foi mostrado durante o julgamento.Antes de Brandes ser assassinado, os dois tentaram comer partes de seu corpo. Meiwes, de acordo ao testemunho passado, comeu mais após a morte. Perguntado na terça-feira o por que de ter deixado algumas partes sem serem comidas, Meiwes disse que as partes não o agradavam, e tinha medo de contrair alguma doença.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.