Cantor ligado a abusos de astro da BBC é preso

A polícia britânica deteve ontem Gary Glitter, astro do rock da década de 1970, em investigação relacionada a acusações de abuso sexual contra menores praticado por Jimmy Savile, ex-apresentador da BBC morto em 2011. Glitter, cujo nome verdadeiro é Paul Gadd, foi o primeiro preso no escândalo envolvendo Savile, estrela nos anos 80 e 90 da BBC, cuja direção foi acusada de omissão.

LONDRES, O Estado de S.Paulo

29 de outubro de 2012 | 03h03

O cantor de 68 anos ficou conhecido pela interpretação de canções como Rock and Roll Part 2 e Suspicious Minds. Ele já cumpriu pena na Grã-Bretanha por fazer download de pornografia infantil, e no Vietnã, por crimes sexuais contra crianças. Glitter foi envolvido no caso Savile semana passada, quando em um documentário da BBC algumas vítimas asseguraram que ele teve relações com menores no camarim do apresentador após participar de um programa da TV pública.

"A detenção ocorreu no âmbito da investigação que chamamos de 'Savile e outros'", confirmou um porta-voz da polícia. Usando chapéu, óculos escuros e um casaco, Glitter foi escoltado de sua casa no centro de Londres para um veículo. Ele foi solto após depor.

O caso Savile foi revelado no dia 3 em um documentário do canal ITV. Desde então, a polícia ouviu 130 pessoas e foram registradas 114 denúncias. O número de vítimas se aproxima de 300. Savile, que morreu há um ano, aos 84 anos, arrecadou milhares de libras para caridade. Vincent Nichols, um líder da Igreja Católica britânica, quer que o Vaticano anule um título concedido a Savile em 1990 pelo papa João Paulo II por suas doações. / AFP e EFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.