Capital mexicana reduz alerta para gripe suína

O prefeito da Cidade do México, Marcelo Ebrard, afirmou hoje que o nível de alerta para a gripe suína na capital mexicana foi reduzido de vermelho para laranja. Além disso, foi anunciada a reabertura dos restaurantes da cidade a partir da quarta-feira. A alteração no alerta ocorreu de acordo com um novo sistema de alerta de saúde implementado pela Cidade do México. Em uma entrevista coletiva televisionada, Ebrard disse esperar a retomada das atividades econômicas a partir da quarta-feira, gradualmente, e que medidas de precaução seguem em vigor.

AE, Agencia Estado

04 de maio de 2009 | 11h28

Ebrard explicou que o alerta vermelho indica um risco muito grande de contágio, enquanto o laranja ainda indica um risco alto. O nível amarelo indica um risco médio, e o verde, um baixo risco. Segundo ele, o sistema de alerta será permanente na cidade. A atividade econômica não essencial foi suspensa no país desde a sexta-feira, até amanhã. A medida foi tomada para tentar brecar a disseminação do vírus da influenza A H1N1, que causou 22 mortos confirmadas até o fim do dia de ontem. A doença, até então conhecida como gripe suína, foi rebatizada pela Organização Mundial de Saúde (OMS) na semana passada.

A última morte confirmada pela gripe ocorreu em 29 de abril. As autoridades afirmaram no fim de semana que a velocidade da transmissão do vírus começou a declinar. A Cidade do México, com mais de 20 milhões de habitantes, cancelou eventos públicos e fechou restaurantes e outros serviços, em resposta ao problema. Também hoje, autoridades afirmaram que a capital reabrirá na quarta-feira seus restaurantes e outros pontos para consumo de comida. Os museus e templos religiosos poderão reabrir na quinta-feira, informou o vice-prefeito da capital, José Ávila, em entrevista coletiva. Já casas noturnas, cinemas e teatros permanecerão fechados por enquanto, segundo ele. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
gripe suínaMéxicoalerta

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.