Capitalizar Commerzbank é plausível, dizem fontes

Autoridades reguladoras do setor bancário alemão afirmam que os planos do executivo-chefe do Commerzbank, Martin Blessing, de capitalizar em 5,3 bilhões de euros a instituição sem o auxílio do governo alemão são "plausíveis", reportou neste domingo o jornal Sueddeutsche, ao citar fontes não nomeadas da supervisão do mercado e sem nomear os reguladores em questão.

ANDRÉ LACHINI, Agência Estado

22 de janeiro de 2012 | 16h19

Mas a visão do plano como factível sem a ajuda do Estado alemão é baseada em um cenário em que a crise da dívida soberana na Europa e a situação dos mercados financeiros não irão piorar, disse o jornal.

Na quinta-feira da semana passada, o Commerzbank, segundo maior banco da Alemanha, informou que já havia coberto 57% da meta de capitalização de 5,3 bilhões de euros determinada pela Autoridade Bancária Europeia (EBA, pela sigla em inglês) e lançou planos para gerar 6,3 bilhões de euros e fortalecer o cumprimento das metas de capitalização até final de junho deste ano.

O Commerzbank submeteu, na sexta-feira, seu plano para cumprir a falta de capital detectada pela EBA, apresentando o projeto ao regulador de serviços financeiros alemães BaFin. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
Alemanhabancoscapitalização

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.