DEA/AP
DEA/AP

Capo do narcotráfico mexicano é morto em tiroteio

Cárdenas, também conhecido como 'Tony Tormenta', era um dos líderes do cartel do Golfo

AE-AP, Agência Estado

06 Novembro 2010 | 10h03

CIDADE DO MÉXICO - O capo do narcotráfico Antonio Ezequiel Cárdenas Guillén foi morto em um confronto com forças de segurança mexicanas, informou a Marinha do México em um comunicado na sexta-feira, 6, à noite. Cárdenas, também conhecido como "Tony Tormenta", era um dos líderes do cartel do Golfo.

 

"Tony Tormenta", irmão de Osiel Cárdenas, líder anterior do cartel e que atualmente cumpre pena de 25 anos de prisão nos Estados Unidos por crimes de tráfico de drogas, morreu durante uma troca de tiros na cidade de Matamoros, que faz fronteira com os EUA, no estado de Tamaulipas.

 

No tiroteio, também morreram quatro capangas de Cárdenas e três oficiais da Marinha, segundo o comunicado.

 

O governo do México oferecia uma recompensa equivalente a US$ 2 milhões por informações que levassem à captura de "Tony Tormenta", que dividia a liderança do cartel com Jorge Eduardo Costilla Sanchez desde a extradição de Osiel. Nos EUA, a recompensa oferecida pelo criminoso era de US$ 5 milhões.

 

Mais de 28 mil mexicanos foram mortos em ações relacionadas ao crime organizado desde que o presidente do México, Felipe Calderón, lançou uma ofensiva contra os cartéis de drogas, no final de 2006.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.