Capovilla, mulher mais idosa do mundo, morre aos 116 anos

Maria Esther de Capovilla, mulher de 116 anos considerada a pessoa mais idosa do mundo, morreu no Equador, segundo sua neta afirmou nesta segunda-feira. Ela faleceu dois dias depois de ser internada com pneumonia.Capovilla morreu na manhã deste domingo em um hospital de Guayaquil, afirmou Catherine Capovilla, agente de propriedades da família, em Miami. O funeral está previsto para esta segunda-feira.Nascida em 14 de setembro de 1889, mesmo ano de Charles Chaplin e Adolf Hitler, Capovilla casou em 1917 e ficou viúva em 1949.Robert Young, um consultor em geriatria para o Guinness Book, afirmou que Elizabeth Bolden, do Memphis, no Tennessee, aparece agora como a pessoa mais idosa do mundo. Ela também tem 116 anos, mas nasceu 11 meses depois de Capovilla. "O Guinness vai fazer um pronunciamento oficial em Londres", segundo Young. Capovilla foi declarada a pessoa mais idosa do mundo em dezembro de 2005, depois de sua família ter dado detalhes de seu nascimento e certificado de casamento a uma publicação britânica. Emiliano Mercado Del Toro, de Porto Rico, mantém o título de homem mais velho. Ele fez 115 anos no dia 21 de agosto.Capovilla tinha três das cinco filhos de Capovilla - Irma, Hilda e Aníbal - ainda vivos, com 12 netos, 20 bisnetos e dois trinetos, segundo informações da própria família.Quando idosa, Capovilla gostava de bordar, pintar, tocar piano e danças em festas, afirmou um familiar. Ela sempre fazia três refeições ao dia, não fumava e tomava bebidas alcoólicas - "apenas um pequeno copo de vinho no jantar, nada além disso", afirmou Irma, uma de suas filhas.Nos últimos 20 anos, Capovilla viveu com sua filha Hilda."Ela estava bem até que ficou com pneumonia e morreu de maneira inesperada. A família esperava pela festa de 117 anos", afirmou Young.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.