Captores de caminhoneiros fazem mais exigências no Iraque

O grupo terrorista que capturou sete caminhoneiros estrangeiros no Iraque faz novas exigências à empresa do Kuwait para a qual eles trabalham, incluindo o pagamento de indenizações para as famílias dos que morreram em combate contra os Estados Unidos na cidade de Faluja. O grupo, intitulado ?Detentores das Bandeiras Negras?, também exige a libertação dos iraquianos presos em cadeias do Kuwait e dos Estados Unidos. O prazo final é de 48 horas.As exigências foram apresentadas em vídeo exibido pela TV Al-Jazira. Na quarta-feira, os terroristas haviam dito que decapitariam um refém a cada 72 horas, a partir da noite de sábado, se a empresa de transportes do Kuwait não parasse de atuar no Iraque e se os países da onde vieram os caminhoneiros não removessem seus demais cidadãos do território iraquiano.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.