Caracas centraliza operação em cidade colombiana

Pilotos venezuelanos só serão informados sobre localização exata de reféns após decolar de Villavicencio

Mariana Della Barba, CARACAS, O Estadao de S.Paulo

27 de dezembro de 2007 | 00h00

O presidente da Venezuela, Hugo Chávez, indicou ontem que a cidade colombiana de Villavicencio, 95 quilômetros a sudeste de Bogotá, será a base de ação de Caracas para a operação de resgate dos reféns em poder das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc). De lá, segundo Chávez, aeronaves venezuelanas decolarão para buscar Clara Rojas, seu filho, Emmanuel, e a ex-deputada Consuelo González Perdomo em um local ainda a ser determinado pelas Farc.Para realizar a ação, Chávez disse dispor de uma "caravana aérea humanitária" composta de aviões Falcon 90, que são pequenos e rápidos, e helicópteros - alguns já com o emblema da Cruz Vermelha Internacional, com equipamento médico.Segundo o presidente, as aeronaves poderão partir para Villavicencio - a uma hora de vôo da fronteira entre os dois países - de um ou de vários entre cinco aeroportos venezuelanos. Os aeroportos são: La Fría e Santo Domingo (no Estado de Táchira), Guasdualito e Elorza (Estado de Apure, o mais próximo da Colômbia) e Puerto Ayacucho (Estado do Amazonas). Segundo ele, a escolha definitiva de onde partirá a caravana dependerá das condições climáticas e se a operação será de dia ou de noite.Citando questões de segurança, o líder venezuelano afirmou que os pilotos só receberão as coordenadas exatas de onde estão os reféns quando já estiverem no ar, após decolarem de Villavicencio. Depois de receber os seqüestrados, os pilotos voltarão à cidade colombiana para então retornar à Venezuela. Também seria concedido algum tempo para os guerrilheiros se esconderem na selva colombiana, evitando sua captura por Bogotá.Chávez afirmou que pretende encontrar pessoalmente os reféns, assim que desembarcarem no país. "Talvez vá a algum ponto da fronteira para recebê-los", afirmou. Caso o governo colombiano não aprovasse a operação, Chávez levantou a possibilidade de os reféns serem entregues em algum ponto da fronteira durante uma ação clandestina "mais arriscada".HISTÓRICOCom 350 mil habitantes, Villavicencio é capital do Estado colombiano de Meta, território onde está a região de La Uribe, considerada um enclave histórico das Farc.Por ficar no centro da ampla zona geográfica de planície oriental que a Colômbia compartilha com a Venezuela, a cidade exerce influência nos Estados colombianos de Arauca, Vichada e Guanía, onde atua o chamado Bloco Oriental - um dos mais poderosos da guerrilha. Nessas regiões se concentra boa parte do cultivo de folhas de coca da Colômbia.Nas imediações de Villavicencio encontra-se a base militar de Apiay, de onde a Força Aérea colombiana lança operações contra a guerrilha. Do aeroporto comercial de La Vanguardia partem os serviços de táxi aéreo que atendem rotas até as planícies e a região da Amazônia. COM AFP, AP E REUTERS

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.