Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE

Caracas corta 3 zeros e muda nome da moeda

Começa a vigorar a partir de hoje o Bolívar Forte (BsF), a nova moeda venezuelana criada pelo presidente Hugo Chávez numa tentativa de controlar a inflação no país e facilitar as transações comerciais. O Bolívar Forte cortará três zeros do atual bolívar. Com a nova moeda, a cotação oficial do dólar passa de 2.150 bolívares para 2,15.Há seis meses, o país iniciou a fase de transição de moeda, em meio à forte campanha do Banco Central da Venezuela. Ontem, o ministro das Finanças, Rodrigo Cabezas, afirmou que a criação do Bolívar Forte foi uma "decisão histórica, que encerra um ciclo de instabilidade dos preços". O ministro também pediu que "os setores econômicos do país" não incluam a moeda na disputa política entre governo e oposição.Em fevereiro, quando anunciou a implementação do Bolívar Forte, Chávez afirmou que a moeda permitiria "recuperar todo o terreno perdido para o dólar, o euro e todas as moedas do mundo".Economistas, no entanto, alertam que o Bolívar Forte corre o risco de diluir-se rapidamente em meio à inflação do país, que atingiu taxa acumulada de 18,6% entre janeiro e novembro. "A conversão monetária sempre tem um risco pois causa efeitos imprevisíveis", afirmou o ex-diretor do Banco Central da Venezuela, Domingo Maza Zavala, para quem o governo deveria antes de mais nada conter os gastos públicos, que chegaram a US$ 40 bilhões nos primeiros nove meses do ano, 12% a mais do que no mesmo período em 2006.A alta dos preços já causa escassez de alguns produtos, como leite, açúcar e óleo. No dia 19, em outra tentativa de controlar a inflação, Cabezas anunciou a flexibilização do tabelamento de preços, criada por Chávez em 2003.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.