Caracas e La Paz acusadas de vender urânio a Teerã

Venezuela e Bolívia forneceram urânio para o programa nuclear do Irã, indicou um relatório secreto do governo de Israel obtido pela agência Associated Press. Sabe-se que os dois países latino-americanos têm estreita relação com o Irã, mas é a primeira vez que são acusados de participar do desenvolvimento do programa nuclear iraniano, considerado uma ameaça por Israel.O relatório conclui que o presidente venezuelano, Hugo Chávez, está tentando prejudicar os EUA, apoiando o Irã. Funcionários venezuelanos e bolivianos não quiseram comentar a denúncia. Venezuela e Bolívia são firmes aliados e têm um histórico de oposição à política externa americana e às ações de Israel. Caracas expulsou o embaixador israelense durante a ofensiva de Israel na Faixa de Gaza, entre dezembro e janeiro. Israel respondeu expulsando o diplomata venezuelano. A Bolívia rompeu relações com Israel durante a ofensiva.O documento de três páginas sobre as atividades iranianas na América Latina foi preparado antes da visita à América do Sul do vice-ministro de Relações Exteriores de Israel, Danny Ayalon, que participará na próxima semana de uma reunião da Organização dos Estados Americanos (OEA) em Honduras. Também está previsto que o chanceler israelense, Avigdor Lieberman, visite a região em breve.MERCOSULO prefeito de Caracas, Antonio Ledezma, de oposição a Chávez, pediu ontem ao Senado do Brasil que rejeite a entrada da Venezuela no Mercosul. Em uma carta enviada no dia 11 ao presidente do Senado, José Sarney, Ledezma diz que seria "um grave precedente admitir no Mercosul um presidente cujas ações demonstram uma escalada autoritária; que não crê nos princípios de mercado, de processo de integração e insulta o Senado brasileiro, chamando seus integrantes de ?papagaios do império americano?".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.