EFE
EFE

Caracas tem ajuda do Brasil para se aproximar dos EUA

Apesar da retórica dura adotada pela Venezuela desde o início da Cúpula das Américas, Caracas ainda tenta se aproximar dos EUA e conta com a intermediação de Dilma Rousseff. A expectativa é que uma conversa informal ocorra hoje entre Barack Obama e Nicolás Maduro durante o chamado "retiro dos presidentes" - momento imediatamente antes do almoço, quando os chefes de Estado podem tratar privadamente de assuntos delicados. Dilma já usou sua o "retiro dos presidentes" para aproximar Maduro e o presidente do Paraguai, Horácio Cartes, durante uma cúpula da Unasul, na Guiana, quando a relação entre eles estava estremecida. 

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.