Carcereira posa nua e é demitida "por segurança"

Um advogado do Estado disse a um juiz que a carcereira Marcie Betts, de 23 anos, foi demitida ?para sua própria segurança?, depois que fotos dela nua causaram ?um estardalhaço? na prisão. O Estado apela contra uma decisão judicial segundo a qual ser fotografada nua é uma forma de expressão protegida pela Constituição e que, portanto, Marcie Betts deve ter o emprego de volta.Marcie Betts disse que ela e o marido fizeram as fotos depois de ela ter pedido emprego como carcereira, mas antes de ser aceita para o trabalho na Instituição Correcional Roxbury. O casal vendeu 81 fotos por US$ 300 para um website especializado em nus de mulheres tatuadas. Uma das imagens foi publicada também numa revista de tatuagens. Betts foi demitida depois de oito dias no trabalho, por ?conduta indigna de uma autoridade correcional?, acusação gerada diretamente pelas fotos. Em seu quinto dia de trabalho, um detento e um colega de trabalho perguntaram a ela sobre as fotos, disse o procurador-geral assistente Scott S. Oakley. No dia seguinte, fotos impressas a partir da internet foram colocadas debaixo da porta da sala do diretor.O Estado argumenta que há o risco de os detentos passarem a ver a carcereira Betts como um ?objeto sexual?, colocando-a sob risco de chantagem ou estupro.

Agencia Estado,

15 de julho de 2004 | 19h25

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.