Cardeal de Boston cede a pressão e renuncia

O cardeal Bernard Law renunciou nesta sexta-feira como arcebispo de Boston, após vários meses de indignação pública com a falta de proteção dada às crianças, frente aos abusos sexuais cometidos por membros do clero. Law é a mais alta autoridade eclesiástica a renunciar devido aos escândalos de abusos sexuais que afetaram ultimamente a Igreja Católica. O papa João Paulo II aceitou a renúncia do arcebispo após reunir-se com ele na manhã de hoje, informou o Vaticano. O pontífice nomeou o bispo auxiliar de Boston, Richard Lennon, como máxima autoridade interina da arquidiocese. "Estou profundamente agradecido ao Santo Padre por ter aceitado minha renúncia como arcebispo de Boston", disse Law, em uma declaração divulgada pelo Vaticano. "É meu ardente desejo que esta ação possa ajudar a trazer à arquidiocese de Boston alívio, reconciliação e a unidade de que necessita desesperadamente". "A todos os que sofreram por causa dos meus defeitos e erros, peço perdão", acrescentou Law. Lennon assume o rebanho de fiéis agora sob sua jurisdição num momento complexo. Mais de 400 supostas vítimas processaram o arcebispado, e Law já deu os passos preliminares, abrindo caminho para que a arquidiocese se declare em falência. Os administradores eclesiásticos temporais poucas vezes têm o poder de tomar uma decisão de tamanha relevância. A crise em Boston, surgida logo após Law admitir ter recolocado em suas antigas funções o sacerdote John Geoghan - apesar das acusações por abuso sexual que contra este pesavam - propagou-se rapidamente para outras dioceses, enquanto os católicos exigiam maior responsabilidade por parte de seus líderes. Pelo menos 325 sacerdotes, entre os 46.000 dos EUA, foram afastados de suas funções ou renunciaram neste ano, devido a denúncias de abuso sexual. De acordo com uma alta autoridade do Vaticano, o papa está "profundamente entristecido" com o assunto. Law era um dos assessores americanos mais próximos ao pontífice. Em abril, Law ofereceu sua renúncia em um encontro com João Paulo, que então rejeitou sua proposta. Law, de 71 anos, continuará sendo cardeal - o que significa que pode ocupar outro posto eclesiástico e votar em um eventual conclave para eleição de papa, até completar 80 anos. Depois que outros casos de abuso sexual vieram a público com a divulgação de alguns arquivos da Igreja, as supostas vítimas, os leigos e até mesmo alguns sacerdotes intensificaram as exigêncesteve à frente da arquidiocese de Boston. "Graças a Deus", disse David Clohessy, diretor da Rede de Sobreviventes dos que Sofreram Abusos por parte de Sacerdotes. " Espero que milhares de católicos de Boston e centenas de milhares de sobreviventes se sintam melhor com este resultado" - ou seja, a renúncia de Law.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.