Cardeal de Havana buscou nos EUA alívio para Cuba

WASHINGTON

Reuters, Afp e Ap, O Estado de S.Paulo

17 de julho de 2010 | 00h00

O governo americano afirmou ontem que o cardeal cubano Jaime Ortega, protagonista da negociação que libertou presos políticos em Cuba, visitou os EUA em junho, antes que o regime liderado por Raúl Castro anunciasse na semana passada a libertação de 52 dissidentes ao longo de quatro meses. A visita tinha o consentimento do governo cubano e seu objetivo era informar a Casa Branca sobre as negociações em curso na ilha.

Segundo o jornal espanhol El País, Havana queria mostrar um gesto de abertura a Washington no momento em que um projeto de lei para permitir viagens turísticas e levantar as restrições à venda de alimentos e remédios à ilha está sendo discutido em comissões no Congresso dos EUA. Ambas as medidas significariam uma enorme fonte de dinheiro para aliviar a situação financeira do país.

Os EUA mostraram satisfação com a libertação, mas indicaram que não pretendem relaxar o embargo até comprovar que a medida não foi uma decisão isolada. Segundo El País, Ortega viajou a Washington entre os dias 21 e 27 e reuniu-se com Arturo Valenzuela, subsecretário para Assuntos Hemisféricos do Departamento de Estado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.