Cardeal de NY prega contra vingança e retaliação

O cardeal da cidade de Nova York, Edward Egan, afirmou nesta segunda-feira que uma retaliação não deve fazer parte da resposta norte-americana aos ataques terroristas de 11 de setembro contra sua cidade e Washington. Com o papa João Paulo II ouvindo-o, Egan proferiu um discurso de abertura de um encontro mundial de bispos que terá duração de dois dias no Vaticano. Depois de sua fala, Egan respondeu a perguntas de jornalistas sobre como deveria ser feita justiça pelos ataques. Um dia antes, o próprio papa havia afirmado que o "terrorismo vicioso" transformou o 11 de setembro em um dia negro na história do humanidade e declarou que a justiça deve ser feita lado a lado com a paz. "Penso que todas as pessoas, não apenas o Santo Padre...todos nós com um senso de justiça diríamos que você deve saber primeiro quem foi o responsável, e a penalidade deve invocar a justiça", afirmou Egan depois de um encontro a portas fechadas com o pontífice. "Queremos que a justiça faça justiça. Palavras como vingança e retaliação não são palavras de um povo civilizado e cristão", afirmou o cardeal, que acrescentou que indivíduos ou grupos devem ser identificados e julgados.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.