Cardeal italiano Martini morre aos 85 anos

O cardeal italiano Carlo Maria Martini, ex-arcebispo de Milão, morreu nesta sexta-feira aos 85 anos. Martini era um dos raros liberais na cúpula atual da Igreja Católica Romana, e que no último conclave foi considerado um "papável". Jesuíta, Martini lutava contra o mal de Parkinson há anos. Ele faleceu em um instituto jesuíta em Gallarate, na região da Lombardia, norte da Itália. A morte do cardeal foi anunciada pela Arquidiocese de Milão.

AE, Agência Estado

31 de agosto de 2012 | 21h33

Martini frequentemente mostrou abertura para discutir temas rechaçados pela hierarquia da Igreja, como o fim do celibato imposto aos sacerdotes, a homossexualidade e o uso de preservativos para lutar contra a transmissão do vírus HIV. Embora discutisse temas gerais, ele era um intelectual e especialista no estudo da Bíblia. O papa Bento XVI enviou uma carta de pêsames pela morte de Martini, elogiando seu "irmão querido" por ter servido a Igreja durante tanto tempo. Martini foi reitor da Universidade Gregoriana e do Instituto Bíblico Pontifício em Roma. Ele era muito popular entre os italianos e durante três anos manteve uma coluna no diário Corriere della Sera, na qual respondia a perguntas dos leitores.

As informações são da Associated Press.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.