EFE/EPA/TOTE MARITIME
EFE/EPA/TOTE MARITIME

Cargueiro com 33 a bordo está desaparecido

Navio americano El Faro estava no olho do furacão Joaquin quando perdeu contato, segundo a Guarda Costeira dos EUA 

O Estado de S. Paulo

02 Outubro 2015 | 19h28

NASSAU - O destino de 30 tripulantes a bordo de um navio de carga americano que estava no olho do furacão Joaquin, na costa das Bahamas, é desconhecido na noite desta sexta-feira, 2, no segundo dia da catastrófica tempestade que castigou o arquipélago.

As notícias sobre uma embarcação desaparecida começaram a se espalhar no momento em que os meteorologistas mudaram a estimativa da rota do furacão para longe da Costa Leste dos Estados Unidos – embora permanecessem os alertas sobre possíveis inundações nas Carolinas do Norte e do Sul decorrentes de chuvas pesadas. 

O Joaquin, furacão de categoria 4 – de uma escala de 1 a 5 – potencialmente catastrófico, rumou para as águas mais frias do norte na sexta-feira e deveria começar a perder força gradualmente nas 24 horas seguintes, informou o Centro Nacional de Furacões dos Estados Unidos (NHC, na sigla em inglês).

Terceiro furacão da temporada de 2015 no Oceano Atlântico, o Joaquin estava a cerca de 65 quilômetros ao sul da ilha de San Salvador, nas Bahamas, perto das 13 horas (horário de Brasília) de hoje, com ventos máximos de 215 quilômetros por hora, segundo o NHC. A tempestade estava seguindo para o nordeste a 5 km/h.

A Guarda Costeira dos EUA disse que equipes de busca e resgate estavam procurando o navio El Faro, de 224 metros, e sua tripulação. O navio foi surpreendido pela tempestade na costa de Crooked Island, nas Bahamas, na quinta-feira pela manhã.

O El Faro ia de Jacksonville, na Flórida, para San Juan, em Porto Rico, quando relatou que perdeu a energia e estava sendo alagado, afirmou a Guarda Costeira. A corporação disse não ter havido novos contatos depois que a embarcação emitiu um pedido de emergência perto das 8h30 (horário de Brasília) de quinta-feira.

O navio El Faro estava no centro do Joaquin, cerca de 56 quilômetros ao norte de Crooked Island, quando emitiu o pedido de socorro, de acordo com Ryan Doss, chefe da Guarda Costeira de Miami.

“Eles estão no olho de uma tempestade de Categoria 4 e tivemos relatos de ondas de 32 metros, então vai levar algum tempo para chegar à área”, afirmou Doss. / REUTERS

Mais conteúdo sobre:
Joaquin El Faro

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.