Caricaturas de Maomé derrubam diretor de jornal francês

A reprodução na quarta-feira no diário francês France-Soir das polêmicas caricaturas de Maomé, publicadas na Dinamarca, provocaram a demissão do diretor do jornal, Jacques Lefranc. Em comunicado divulgado na noite de ontem, o proprietário do diário, o franco-egípcio Raymond Lakah, explica sua decisão de demitir Lefranc como um "sinal forte de respeito às crenças e convicções íntimas de cada indivíduo".Lakah, no comunicado, também pede desculpas à comunidade muçulmana e a todas as pessoas que tenham se indignado ou se ofendido por essas caricaturas.O France Soir reproduziu 12 caricaturas de Maomé publicados no diário dinamarquês "Jyllands-Posten", que provocaram fortes protestos de países árabes e pedidos de boicote a produtos da Dinamarca.O jornal havia justificado sua decisão de reproduzir as caricaturas, porque "nenhum dogma religioso poder impor-se a uma sociedade democrática e laica".Nesta quinta-feira o jornal francês dedica novamente sua capa ao assunto. Sobre uma fotografia de quatro muçulmanos queimando uma bandeira dinamarquesa escreve: "Socorro Voltarie, ficaram loucos!".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.