Caricaturas de Maomé provocam indignação no mundo islâmico

A publicação na imprensa européia de caricaturas do profeta Maomé ameaça acirrar as tensões nos países árabes e muçulmanos, e provocar uma onda de protesto e indignação, principalmente entre faixas extremistas da população. A religião islâmica proíbe a representação de Maomé, mesmo que não haja intenção de difamação, porque isso é considerado uma forma de idolatria. Imagens são consideradas culto pagão de ídolos. Portanto, representar o profeta é blasfêmia para os muçulmanos.As caricaturas foram publicadas inicialmente em setembro passado por um diário dinamarquês e reproduzidas em janeiro deste ano por uma revista norueguesa, o que provocou a fúria dos muçulmanos.A venda da edição de quarta-feira do jornal francês France Soir, que publicou 12 caricaturas de Maomé, foi proibida na Tunísia, informou nesta quinta-feira o Ministério do Interior.A razão, segundo este ministério, é o caráter "provocador e blasfemo" dos desenhos. Um deles, por exemplo, mostra a figura de Maomé com uma bomba acesa sob o turbante. A venda do jornal também foi proibida no Marrocos.O diário de Paris e 12 da Espanha, Itália, Alemanha e de outros países, publicaram na quarta-feira algumas das caricaturas para defender a liberdade de expressão, afirmando que a decisão não significa que estejam atacando os fundamentos da religião islâmica. Os ministros árabes do Interior, reunidos ontem na capital da Tunísia, para realizar uma sessão ordinária do Conselho Ministerial do Interior, se uniram ao protesto e exigiram que Dinamarca e Noruega apresentem desculpas oficiais.Os dois países escandinavos afirmaram que não podiam interferir na liberdade de imprensa, por constituir um dos princípios fundamentais de suas democracias.Ao mesmo tempo, disseram que compreendiam o mal-estar dos árabes e lembraram que o diário dinamarquês, origem da difusão dos desenhos, já apresentou suas desculpas.Mas a indignação dos muçulmanos será difícil de ser contida. O Alcorão é cristalino: "O vinho, os jogos de azar, os ídolos são abominações inventadas por satã." Os que reproduzem a figura de Deus, teria dito o profeta, serão "castigados no dia do juízo final".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.