"Carlos, o Chacal" elogia Bin Laden em livro

Illich Ramírez Sánchez, conhecido como "Carlos, o Chacal", o terrorista mais famoso dos anos 70, escreveu um livro no qual elogia o "iluminado" exemplo de Osama bin Laden e assegura que "o terrorismo sempre fará parte da paisagem cotidiana de vossas apodrecidas democracias".O Islã Revolucionário é o título do livro, um claro indicador de que, aos 55 anos, "o Chacal" - preso na França desde 1994 - mantém o espírito intacto: da revolução em nome de Marx e Lênin, passou sem traumas à revolução em nome do profeta Maomé.Em 1997, a Justiça francesa condenou o terrorista à prisão perpétua por um episódio "menor" em sua longa carreira de "revolucionário profissional" - o assassinato de dois policiais franceses e seus informantes. Agora, "o Chacal" denuncia "a decadência moral e espiritual das democracias" e elogia sem reservas os atentados terroristas de 11 de setembro de 2001 contra o que chamou de "totalitarismo americano".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.