Carlos, o Chacal pode ser levado à Alemanha para depor

A França concordou, em princípio, com que o terrorista venezuelano Ilich Ramírez Sánchez, conhecido como Carlos, o Chacal, que já foi o homem mais temido e procurado do mundo, seja levado à Alemanha para depor no julgamento de um colaborador, Johannes Weinrich, acusado de homicídio. A informação é da advogada de Carlos, Isabelle Coutant Peyre, segundo quem o Ministério da Justiça francês aprovou uma petição das autoridades alemães nesse sentido.O Ministério francês, no entanto, negava-se a comentar o fato até agora à noite.Segundo Isabelle Peyre, a permissão foi concedida numa carta enviada a Berlim em 3 de outubro. Ela diz que o eventual testemunho de Carlos, em Berlim, depende de que a Alemanha adote várias medidas de segurança.Carlos, o Chacal, foi detido no Sudão em 1994, e entregue à França, onde cumpre pena dupla de prisão perpétua pelos assassinato de dois agentes franceses e um presumível informante, em 1975.Weinrich, de 55 anos, está sendo julgado por tentativa de assassinato e por provocar explosões em cinco atentados na Europa Ocidental, que mataram seis pessoas nas décadas de 70 e 80. Mas já cumpre pena de prisão perpétua por um atentado cometido em 1983 contra um instituto francês no que era, então, Berlim Ocidental, e que deixou um morto e 23 feridos.O tribunal de Berlim, onde Weinrich está sendo julgado desde março, considera importante o testemunho de Carlos. Para a acusação, o alemão foi chefe de Carlos nas operações européias.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.