Carmona admite que renunciou

O agora deposto presidente de fato daVenezuela Pedro Carmona confirmou que renunciou ao cargo quehavia assumido nesta sexta-feira, mas negou que esteja detido.Em declarações à Rádio Sensación, Carmona confirmou que "paraevitar um derramamento de sangue", aceitou apresentar arenúncia.Questionado sobre as razões da demissão, ele respondeu que isto"tem de ser perguntado a Efraín Vasquez Velasco", o comandantemilitar que promoveu o movimento que afastou do poder HugoChávez.As declarações de Carmona foram feitas no Forte Tiuna, umabase militar onde ficou detido Chávez. O controlador-geral das Forças Armadas Antonio Navarro - queiria ser o ministro da Defesa de Carmona - confirmou a renúnciado presidente interino, que teria aceito uma sugestão do comandomilitar.Segundo autoridades chavistas que retornaram ao poder, Carmonaestá "detido".Para saber mais sobre a Venezuela e os recentes acontecimentos que desencadearam a crise política no país acesse o especial Grandes Acontecimentos Internacionais: Venezuela

Agencia Estado,

13 de abril de 2002 | 23h32

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.